Na próxima semana iniciam-se turmas de nível básico em Lucas do Rio Verde e Porto dos Gaúchos e de nível avançado em Cáceres e Juara. Outros 90 profissionais ingressarão no segundo semestre, nos polos de Barra do Garças e Juína. Cada turma é composta por 45 integrantes.

MATO GROSSO – A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), por meio do Centro de Apoio e Suporte à Inclusão da Educação Especial (Casies), está capacitando cerca de 550 profissionais em Língua Brasileira de Sinais (Libras) de diferentes polos de Mato Grosso. Em seis deles, Alta Floresta, Matupá, Rondonópolis, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra e Cáceres, as aulas para o curso de nível básico começaram no dia 28 deste mês.

Na próxima semana iniciam-se turmas de nível básico em Lucas do Rio Verde e Porto dos Gaúchos e de nível avançado em Cáceres e Juara. Outros 90 profissionais ingressarão no segundo semestre, nos polos de Barra do Garças e Juína. Cada turma é composta por 45 integrantes.

O curso de nível básico (Libras I, II e III) é em formato intensivo, com 360 horas, com aulas ministradas durante uma semana de cada mês até dezembro. É direcionado, principalmente, para profissionais da educação visando melhorar o atendimento ao aluno surdo nas escolas. Mas a oportunidade foi estendida a familiares de pessoas surdas e à comunidade local.

“O objetivo do curso básico é aprender os fundamentos linguísticos da Libras, estabelecer diálogos na língua de sinais e conhecer a cultura surda”, explicou a diretora do Casies Valdite Heinzen, ressaltando que a capacitação pretende formar profissionais intérpretes para atender a demanda de alunos com deficiência auditiva.

Formação

Para se tornar um intérprete o candidato precisa concluir os dois níveis de curso: básico e o avançado. “Nem todos conseguem ser intérpretes, mesmo com a conclusão dos cursos. A Língua de Sinais é como um novo idioma, é uma língua de movimento, não é estática. Precisa de estudos e pesquisas constantes. Não é fácil, exige muito, por isso, nem todos seguem a atividade”, revelou Valdite.

Atualmente existem apenas oito professores de Libras no Estado. O número é insuficiente para atender a demanda, uma vez que para cada aluno surdo em sala de aula é necessário um intérprete. A iniciativa, segundo Valdite, é atender especialmente o interior do Estado, onde as dificuldades são maiores em relação à oferta desse profissional.

Nível avançado

Em Juara e Cáceres, onde as turmas são de níveis avançados, o que muda é a carga horária, que é de 240 horas. O formato também é intensivo e a duração a mesma, até dezembro. No segundo semestre, Barra do Garças e Juína também sediarão o curso nesse nível.

Nessa modalidade, os participantes aprendem noções básicas de tradução e interpretação de Libras/Língua Portuguesa com o objetivo de identificar os procedimentos básicos para uma boa interpretação. E a executar os tipos de interpretações: simultânea e consecutiva, conhecer a base gramatical da Libras e praticar através de frases e diálogos também em Libras.

Casies

Além das turmas ofertadas nas 11 cidades polos, outras 30 estão em andamento no Casies, em Cuiabá e atendem a uma demanda que vai desde o nível básico ao avançado. Os cursos acontecem uma vez por semana e com disponibilidade nos três horários: matutino, vespertino e noturno. As vagas foram preenchidas por meio de inscrição realizada no mês de janeiro e as aulas tiveram início em 22 de fevereiro.

 

Fonte: 24 Horas News

Comentários no Facebook