Cerca de 60 servidores da Prefeitura de Ipatinga concluíram o curso básico de Libras – Língua Brasileira de Sinais – oferecido pela Secretaria Municipal de Educação. Na noite desta quarta-feira (11), foi realizada a solenidade de entrega de certificados aos formandos, no auditório do Hospital Municipal.

MINAS GERAIS – As aulas foram uma iniciativa da Administração para que um maior número de funcionários da prefeitura esteja apto a realizar atendimentos de qualidade às pessoas surdas que necessitam do serviço público em diversas áreas.

“Sabendo que a Libras é a segunda língua oficial no país, a intenção do governo é que haja em cada secretaria municipal um servidor que domine essa língua para receber as pessoas que necessitam se comunicar com seus representantes no Executivo. É importante que todo local tenha alguém que saiba usar esses sinais, porque a demanda é grande”, disse a secretária de Educação, Eva Sônia.

Aulas
As aulas foram iniciadas em setembro deste ano, sendo ministradas pelo professor surdo Daniel Moreira Moraes, formado em Pedagogia e graduando em Letras/Libras. Ele explica que os servidores tiveram aulas básicas da língua de sinais e que, embora ainda necessitem de conhecimentos mais avançados, já estão aptos a fazerem os atendimentos.

“Dentro das Libras básicas, os servidores já estão preparados, porque antes não existia essa comunicação, ela era muito limitada. Mas no o ano que vem eles irão fazer o curso intermediário, aprendendo verbos, classificadores e estarão melhorando a interpretação da Língua de Sinais”, adiantou o professor.

Evolução
Adriana Rodrigues, assistente da Educação Especial, conta que já teve contato com a Língua de Sinais em outros momentos da vida, mas entendeu que foi necessário se aprofundar mais no conhecimento para saber lidar com as crianças surdas ou não verbais no dia-a-dia. “A preparação com um professor fez toda a diferença para o aprendizado. No início, embora eu já tivesse uma noção, foi difícil, mas depois foi ficando mais fácil, porque o Daniel usa formas diversificadas de transmitir o conteúdo”, avaliou a aluna.

Diferente de Adriana, a professora de Matemática Patrícia Maria Julião ainda não havia tido contato com a Língua de Sinais. Ela relata que na turma onde dá aulas convive com um aluno surdo, e às vezes a comunicação com o estudante fica limitada, quando ocorre de o intérprete não estar na sala.

“Com essa minha relação agora com a Libras eu já consigo me comunicar melhor com ele. É o básico ainda, mas ter essa sensação de poder dialogar com ele é muito bom e gratificante. Com certeza vou querer trilhar os passos mais avançados da Língua de Sinais”, afirmou a professora.

Fonte: https://www.ipatinga.mg.gov.br/detalhe-da-materia/info/pmi-capacita-servidores-para–melhor-atendimento-a-surdos/96057

Comentários no Facebook