Deficientes auditivos compartilharam suas dificuldades e conversa viralizou no Twitter.

Uma aluna de Londrina (PR) com deficiência auditiva enviou uma mensagem ao seu professor de física pelo WhatsApp para dizer que está com dificuldade em entender a matéria e pedir ajuda em um exercício. Mesmo avisando que é surda, o professor enviou a resposta por áudio. A conversa viralizou nas redes sociais.

A mensagem diz: “Boa tarde, professor, sou estudante (…) D. Tentei entrar em contato com você no dia 5 de abril via classroom e não obtive respostas desde então. Tenho alguns exercícios de eletrostática pendente e não estou conseguindo entender a matéria. Não sei se já chegaram a mencionar para o senhor, mas eu sou surda, tenho perda auditiva de respectivamente 50% num ouvido e 90% no outro. Poderia me explicar como eu posso fazer o exercício?”

Em seguida, a estudante, que está no terceiro ano do ensino médio, avisou que não entendia os áudios. “Até agora o professor foi vago e não garantiu que ia me ajudar. Ele disse que ia ver o que podia fazer”, relata. A escola estadual onde estuda está fornecendo aulas pela televisão, Google Classroom ou pelo YouTube, além do aplicativo Aula Paraná. Mas sem legendas, ela acaba não conseguindo participar.

Essa não foi a primeira vez que encontrou dificuldades durante o ensino on-line. Em 2020, uma professora de filosofia passou um trabalho audio-visual, também sem legendas, e não respondeu às duvidas da aluna. A jovem não conseguiu ter acesso ao material e perdeu pontos.

Repercussão no Twitter
O caso repercutiu no Twitter após o Guilherme Fernandes, youtuber surdo, publicar um print da conversa. Até às 22h desta quarta-feira (14) o tuíte já possuía 64 mil curtidas e mais de 4 mil retweets. Nos comentários, outros alunos com deficiência relataram suas dificuldades com o ensino remoto.

Fonte: NSC Total

Comentários no Facebook