Desenvolvida pela empresa brasileira Helpvox Connect, a plataforma on-line permite que a comunidade surda faça reclamações referentes à falta de atendimento acessível.

Os surdos enfrentam diariamente inúmeras barreiras na comunicação, seja para chamar um serviço de emergência, marcar uma consulta médica, realizar transações bancárias ou até mesmo solicitar comida em um drive-thru. A falta de acessibilidade inviabiliza o acesso de aproximadamente 10 milhões de surdos no Brasil, segundo o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010. Diante desse cenário, a empresa brasileira Helpvox Connect – que desenvolve produtos com alta tecnologia voltados à inclusão e acessibilidade – criou o SOS Surdo.

Trata-se de uma plataforma online, 100% gratuita, na qual a comunidade surda pode denunciar a falta de acessibilidade em qualquer tipo de serviço. Para isso basta acessar o site https://www.sossurdo.com.br, fazer um breve cadastro e depois escrever a reclamação ou enviar um vídeo em Língua Brasileira de Sinais (Libras) com todas as informações referentes ao problema. O usuário poderá também anexar fotos e vídeos. Todas as denúncias são avaliadas por uma equipe de analistas do SOS Surdo e, posteriormente, fará uma notificação para a empresa citada na reclamação, bem como acompanhar o andamento da denúncia. O objetivo da ação é resolver o problema enfrentando pelo surdo bem como ajudar a empresa a estar em conformidade com a Lei 10.436, que prevê o uso da Língua Brasileira de Sinais (Libras) na comunicação com a comunidade surda.  Caso não responda a notificação, a empresa estará sujeita a processos e punições previstas na Lei.

Segundo Cleber Santos, CEO do Helpvox Connect, diariamente a comunidade surda enfrenta inúmeras situações de exclusão, preconceito e desrespeito, passando despercebidos pelos ouvintes como se fossem invisíveis. “Com o SOS Surdo queremos dar voz a essas pessoas que são constantemente esquecidas na sociedade. A deficiência não está na surdez, mas em quem se recusa a escutar a voz dos surdos. As empresas têm que seguir as leis bem como respeitar os direitos de todos”, fala Santos.

Fonte: Sala da Notícia

Comentários no Facebook