2b327831fe40276ed4f8642430ad3197_LPara refletir sobre o processo de aquisição da linguagem por crianças surdas nos primeiros anos de vida e em sua inserção na educação básica, a série Ceale Debate recebe nesta quinta, 16/04, a professora Terezinha Cristina da Costa Rocha, da Faculdade de Educação.

Sua palestra começa às 19h30, no Auditório Neidson Rodrigues da Faculdade de Educação, campus Pampulha. A inscrição, gratuita, deve ser feita por meio de preenchimento de formulário disponível em http://bit.ly/cealedebateabril.

“Diversos estudos têm mostrado e discutido que algumas práticas escolares, na perspectiva de serem inclusivas, acabam sendo, na verdade, excludentes para os surdos, sobretudo quando se considera os paradigmas voltados para a oralidade”, afirma Terezinha, cuja exposição intitula-se Uma escola, duas línguas: Libras e língua portuguesa nos processos de alfabetização e letramento de crianças surdas.

Segundo ela, a aquisição de linguagem e da língua de sinais como primeira língua é uma questão crucial para os processos de alfabetização e letramento de crianças surdas. “Pretendo discutir o português não como língua materna, e, sim, como uma segunda língua para esses sujeitos, e a importância de abordagens mediadas por elementos semióticos, de natureza visual, na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental”, antecipa a pesquisadora do Ceale.

Terezinha Cristina da Costa Rocha, graduada em Filosofia e mestre em Educação pela PUC Minas, desenvolve estudos e atua nos campos de educação bilíngue para surdos e de formação de professores e intérpretes de Libras. Sua pesquisa Dicionário temático da Língua Brasileira de Sinais: a criação de sinais específicos para a filosofia foi premiada pelo CNPq, na edição de 2007 do Prêmio Jovem Cientista, e publicada em formato digital.

Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail cealedebate@gmail.com ou pelo telefone (31) 3409-5334.

Fonte: http://www.cbnfoz.com.br/editorial/educac%C3%A3o/ufmg/14042015-246213-ufmg-alfabetizacao-e-letramento-de-criancas-surdas-tema-do-ceale-debate

Comentários no Facebook