As ações do Projeto Piloto de atividades não presencias, desenvolvidas pelo Instituto Federal do Piauí – Campus Teresina Central – também se estendem aos alunos com deficiência auditiva e contam com as ações de suporte desenvolvidas pelo Núcleo de Atendimento a Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (Napne).

 Segundo Gleyciane Silva, tradutora e intérprete de Libras, atualmente cinco intérpretes fazem o acompanhamento do aluno Paulo Henrique de Sousa e Silva Júnior, que cursa o terceiro ano de Administração, na modalidade integrada. “Para melhor acompanhá-lo, dividimos as disciplinas, estamos inseridos nas turmas de classroom e fazemos as traduções e interpretações dos vídeos enviados pelos professores”, explica a tradutora.

 Segundo ela, o estudante está animado com a possibilidade de concluir o Ensino Médio e os entrar na faculdade. “A preocupação dele era não terminar os estudos esse ano e atrasar o acesso ao ensino superior”.

Fonte: Instituto Federal do Piauí

Comentários no Facebook