Segunda edição do curso teve aula inaugural nesta segunda-feira (2)

Teve inicio, nesta segunda-feira (2), a segunda edição do Curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras) específico para servidores da Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Proposto na modalidade de Ensino à Distância, serão capacitados 40 policiais para realizar o atendimento de surdos nas delegacias e durante ocorrências. A capacitação de 40 horas foi viabilizada a partir de um termo de cooperação entre a FADERS Acessibilidade e Inclusão e a Academia de Polícia do Rio Grande do Sul (Acadepol). As aulas são gravadas, permitindo flexibilidade de horário para os inscritos.

Participaram da aula inaugural representando a FADERS, o presidente Marquinho Lang; a diretora técnica Ana Flávia Beckel Rigueira; a coordenadora de capacitação Eva Loreni de Castilhos; a coordenadora de Acessibilidade, Aline Monteiro Correia; os professores Patrícia da Silva Rodrigues, Simone Fontoura e Luciano da Silva Abreu, do Serviço de Educação, Capacitação e Ajudas Técnicas (Secat/FADERS); e as tutoras Alexsandra Paz Araújo, chefe da Unidade Secat; e Greice Santos, pedagoga. Representando a Polícia Civil, o subchefe delegado Vladimir Urach; a diretora da Divisão de Ensino da Acadepol, delegada Clarissa de Oliveira Lopes de Castilhos; a diretora da Divisão de Assessoramento Especial, Anita de Oliveira Caruccio, entre outras autoridades policias.

Lang, ao saudar os participantes do curso, valorizou o interesse da instituição Polícia Civil em tornar o atendimento acessível aos surdos. “Estamos muito orgulhosos por cooperar com a Polícia Civil com mais esta edição do Curso de Libras, e ainda mais satisfeito pelo interesse dos inscritos. A primeira edição foi um sucesso e tenho certeza de que esta também será. Aqui na FADERS nós temos o sonho de incluir no curso de formação de todos os servidores da área de segurança pública falando sobre acessibilidade, inclusão, sobre como identificar e como abordar a pessoa com deficiência. O retorno para a sociedade será valioso”, afirmou.

Fonte: Faders

Comentários no Facebook