Maioria das vagas são para professores e intérpretes de Libras, mas há vagas para qualquer pessoa interessada em se comunicar com surdos.

A comunicação com as pessoas surdas ou portadoras de deficiência auditiva quase sempre é um desafio até mesmo para os familiares destas pessoas que sofrem para se fazer entender ou entenderem aqueles com quem se comunicam. Pensando nisso, o Ifes, campus Barra de São Francisco, lança nesta segunda-feira, 27, o Curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras) Básico I, com carga horária de 80 horas.

O curso é totalmente gratuito, com aulas presenciais às segundas ou terças-feiras, de 18h30 às 21h30, com duração prevista de cinco meses.

São 50 vagas distribuídas por categorias, sendo 20 delas para professores ou intérpretes de Libras de Barra de São Francisco. Há, também, seis vagas de ampla concorrência, ou seja, destinada a qualquer pessoa da sociedade interessada em aprender a se comunicar com os surdos através da língua.

Podem se inscrever docentes e intérpretes de libras da rede pública municipal, profissionais da área da segurança pública, familiares de pessoas com surdez ou deficiência auditiva, pessoas com outras deficiências, pretos, pardos ou indígenas e membros da comunidade externa.

As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet, a partir das 10h de hoje até às 18h do dia 3 de junho, através do Inscrições no link: http://bit.ly/librasifes2019. A seleção será por ordem de inscrição e seguirá os critérios estabelecidos no edital.

História – A Língua Brasileira de Sinais (Libras) é a língua de sinais usada pela maioria dos surdos dos centros urbanos brasileiros e legalmente reconhecida como meio de comunicação e expressão.

É derivada tanto de uma língua de sinais autóctone, que é natural da região ou do território em que habita, quanto da língua gestual francesa; por isso, é semelhante a outras línguas de sinais da Europa e da América. A Libras não é a simples gestualização da língua portuguesa, e sim uma língua à parte, como o comprova o fato de que em Portugal usa-se uma língua de sinais diferente, a língua gestual portuguesa (LGP).

Os sinais surgem da combinação de configurações de mão, movimentos e de pontos de articulação — locais no espaço ou no corpo onde os sinais são feitos — e também de expressões faciais e corporais que transmitem os sentimentos que para os ouvintes são transmitidos pela entonação da voz, os quais juntos compõem as unidades básicas dessa língua.

Assim, a Libras se apresenta como um sistema linguístico de transmissão de ideias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil. Como em qualquer língua, também na libras existem diferenças regionais. Portanto, deve-se ter atenção às suas variações em cada unidade federativa do Brasil.

Fonte: http://www.vozdabarra.com.br/ifes-de-barra-de-sao-francisco-lanca-curso-de-libras-para-toda-a-comunidade/

Comentários no Facebook