Os alunos com surdez ou deficiência auditiva ganharam um importante reforço para os estudos na rede municipal de ensino.

SERGIPE – Com o objetivo de proporcionar um ambiente em que crianças e jovens surdos possam, por meio de uma metodologia bilíngue de ensino, adquirir e desenvolver não só a língua portuguesa como também a Língua Brasileira de Sinais (Libras), a Prefeitura de São Cristóvão, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), oferece um sistema de ensino especializado com intérpretes em Libras, facilitando assim a comunicação entre professores, colegas e toda a equipe escolar.

As Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEF), Lourival Baptista (Sede) e Frei Fernando (Sede) e Ruth Dulce (Grande Rosa Elze) já possuem intérpretes. A secretária municipal de educação, Quitéria de Barros, destaca que, entre os principais objetivos, a medida visa garantir a permanência dos alunos em sala de aula. “Até o ano de 2018 São Cristóvão não tinha nenhum profissional de libras em suas escolas, portanto não tínhamos como incluir esses alunos na matrícula da Rede Municipal de Ensino. Em 2019 realizamos o processo seletivo e compreendemos que era hora de modernizar o sistema de ensino e dar conta de fazer a inclusão dos alunos surdos. Hoje nós temos profissionais de libras em três escolas, e onde apresentar demanda encaminharemos o profissional para contribuir de forma efetiva para a educação e permanência destas crianças e jovens em nossas escolas”.

“A presença destes profissionais em sala de aula é de suma importância. Atualmente temos três alunos surdos, todos do fundamental menor. Estamos garantindo a aprendizagem de forma integrada e não isolada. Além disto, estamos possibilitando a interação deles com os demais alunos”, observou a coordenadora de educação especial, Marileide Prado Menezes.

Intérpretes

De acordo com os intérpretes, o trabalho em sala de aula também é o de alfabetização em Libras.  “O nosso trabalho é o de interpretar, mas como eles ainda não têm o domínio da língua (libras), nós estamos realizando junto o processo de alfabetização. Além disso, estamos ensinados Libras aos alunos ouvintes para que eles possam se comunicar, favorecendo a interação e a integração com o ambiente escolar”, observou o interprete Vagner Almeida.

Já Kelly Isabele Melo Lima, intérprete na EMEF Ruth Dulce, contou que o processo de inclusão começa quando o aluno entende o papel do profissional de Libras em sala de aula. “Fico feliz em perceber o processo de inclusão destes alunos. Hoje eles participam dos projetos da escola e respondem as atividades. É um processo longo de alfabetização tanto do Português quanto de Libras, mas que vai garantir o sucesso deles”.

Segundo o prefeito Marcos Santana, a inclusão é um dos pilares da sua gestão e citou que essa é uma das muitas iniciativas adotadas pela administração municipal para fazer com que a educação na cidade melhore. “Somente com educação de qualidade conseguiremos mudanças efetivas sociais e econômicas. Nosso dever é garantir uma educação pública de qualidade para esses meninos e meninas e a inclusão de pessoas com deficiência faz parte do nosso projeto, não deixaremos ninguém de fora. Além dos professores de Libras, os quais já percebem os avanços pedagógicos nos alunos, investimos na valorização e na capacitação profissional do docente, no material didático, na estrutura escolar. Hoje além da merenda escolar regular, temos o programa Primeiro Lanchinho, que assegura a primeira refeição da criança na escola, entregamos fardamento novo, inauguramos a sede nova da biblioteca do Grande Rosa Elze; reformamos e climatizamos escolas; adquirimos novos veículos para o transporte escolar; ampliamos a oferta de matrículas chegando a oito mil alunos na Rede Municipal, e iniciamos o projeto ‘Colorindo Minha Escola’, que busca incentivar a preservação do patrimônio sancristovense por meio da arte”, finalizou o prefeito.

Fonte: https://www.saocristovao.se.gov.br/page.php?sa=0&pgref=noticia-detalhe&cod=2085&title=Prefeitura%20garante%20inclus%C3%A3o%20com%20int%C3%A9rpretes%20de%20Libras%20na%20Rede%20Municipal

Comentários no Facebook