O instituto Itaú Cultural anunciou nesta segunda-feira (28) os 109 projetos que foram selecionados para o edital 2017-2018 do Rumos, programa de fomento à produção artística que irá destinar mais de R$ 15 milhões a iniciativas nos campos do audiovisual, literatura, música, artes cênicas, acessibilidade e outros.

Pela primeira vez, em 18 edições do edital, foram selecionados projetos de todos os 26 estados e Distrito Federal. Segundo o diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron, não houve qualquer tipo de cota ou direcionamento por parte da comissão de seleção para abarcar iniciativas de todo o país. “Houve um processo de escuta mais depurada”, avalia o gestor, acrescentando que o instituto visitou os dez estados que historicamente tinham menos inscritos: Rondônia, Roraima, Acre, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Alagoas, Piauí, Mato Grosso, Sergipe e Amapá. “Não acredito em meritocracia sem dar oportunidades mais equânimes no processo”, afirma.

Outro reforço para tornar o resultado da seleção mais diverso veio com inclusão de ferramentas de acessibilidade, para facilitar o acesso de surdos no processo seletivo. Foram selecionados três projetos com esse recorte, dois em Pernambuco e um São Paulo. Um é de autoria do ator surdo Igor Rocha, o palhaço Surddy. O projeto prevê a criação de um espetáculo teatral solo em paralelo a uma capacitação para formação de profissionais da arte surdos, através de Libras. Outro é o Caravana MusiLibras, do Instituto Som da Pele, que pretende formar grupos percussivos com crianças e jovens surdos, a partir de uma nova metodologia chamada MusiLibras. A ação é voltada para cidades do interior do estado e capitais do Nordeste. E em São Paulo, Joaquim, o fusca que contava histórias com autoria Amanda Oliveira, trata-se de um espetáculo itinerante que usa como base de transporte e fonte de histórias um tradicional fusca branco de 1978. Há livros e brinquedos que contagiam crianças e adultos de todas as idades, surdos, ouvintes e curiosos. As histórias serão gravadas em vídeo com janela de Libras e legenda em português.

Confira a relação dos três projetos para surdos selecionados:

Caravana MusiLibras (Instituto Som da Pele) 
Recife-Pernambuco 
Região impactada: Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe 
Modalidade: Criação e desenvolvimento 
Tema: Formação 
Recorte: Acessibilidade/surdo 

A proposta é formar células percussivas inclusivas com o nome Batuqueiros do Silêncio, a partir de oficinas músico-pedagógicas com crianças e jovens surdos, que experimentarão a construção de frases e ditados rítmicos através de uma metodologia inédita e inovadora chamada MusiLibras, em diversas cidades do interior de Pernambuco e capitais do Nordeste, com oficinas, espetáculos e divulgação desse método.

Joaquim, o fusca que contava histórias (Amanda de Lima Oliveira) 
São Paulo-São Paulo 
Região impactada: São Paulo 
Modalidade: Criação e desenvolvimento, documentação 
Tema: Teatro 
Recorte: Acessibilidade/surdo 

Trata-se de um espetáculo itinerante que usa como base de transporte e fonte de histórias um tradicional fusca branco de 1978. Entre as diversas coisas que traz das viagens, há livros e brinquedos que contagiam crianças e adultos de todas as idades, surdos, ouvintes e curiosos. As histórias serão registradas em vídeo e sempre compartilhadas no site do Grupo êBA! com janela de Libras e legenda em português.

Palhaço Surddy (Igor de Andrade Rocha) 
Recife-Pernambuco 
Região impactada: Amazonas, Maranhão, Pará e Tocantins 
Modalidade: Criação e desenvolvimento 
Tema: Teatro 
Recorte: Acessibilidade/surdo 

O projeto prevê a criação de um espetáculo teatral (solo) do ator surdo Igor Rocha em parceria com um diretor artístico com experiência em clown, juntamente com uma capacitação para o uso e difusão da Libras e com tradução e interpretação em Libras. O projeto visa estimular e especializar a prática de profissionais da arte surdos, através de sua linguagem primeira de expressão.

Comentários no Facebook