A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed) atende a aproximadamente 615 estudantes surdos e, durante as aulas remotas, organizou-se para dar acessibilidade a esses alunos. As adaptações vão desde aulas pela TV aberta e YouTube com traduções simultâneas até a continuidade da presença do Tradutor e Intérprete de Libras com seus alunos.

PARANÁ – O Secretário da Educação, Renato Feder, reconhece que os profissionais da Sala de Recursos Multifuncionais, que trabalham diretamente com os alunos surdos, têm desempenhado um excelente trabalho para com esses estudantes. “Desde que implantamos o Aula Paraná, temos feito todo o possível para atender aos alunos surdos, e temos tido bons resultados”, comemora o secretário.

Traduções simultâneas – Uma das primeiras ações da Seed aconteceu logo no início das aulas remotas, em abril. As aulas gravadas pelos professores e transmitidas pela TV aberta, YouTube e aplicativo passaram a ter os intérpretes, que ajudavam e desempenhavam um papel importante, passando a mensagem aos alunos surdos por meio da linguagem dos sinais.

“Os estudantes surdos que iniciaram o ano letivo com intérprete também continuam com o atendimento desses profissionais, ao mesmo tempo em que as aulas transmitidas pela TV também contam com a presença de intérpretes”, explica a Coordenadora Pedagógica do Departamento de Educação Especial, Cláudia Camargo Saldanha.

Inclusão através de outras frentes – A professora de Língua Portuguesa Vera Fernandes, da região de Francisco Beltrão, é uma das educadoras que atuam diretamente no ensino dos alunos surdos. Ela explica que, graças às ferramentas on-line, seus alunos continuam sendo atendidos e não foram prejudicados pela pandemia.

“Primeiro fazemos meetings entre nós, professores da Sala de Recursos. Trocamos experiências, conhecimento e metodologias pedagógicas que ajudarão nossos alunos. Após esse preparo, promovemos nossas videoaulas para os alunos surdos com todo o conteúdo em Libras e com conteúdos adaptados”, explica a professora.

As Salas de Recursos Multifuncionais produzem as atividades adaptadas para os alunos e, nos meetings realizados entre professores e alunos, os educadores fazem toda a explicação da matéria em Libras. Dessa forma, todos são atendidos e incluídos no processo educacional.

Centros de Apoio unidos à Seed – Os Centros de Apoio ao Surdo e aos Profissionais da Educação de Surdos (CAS) de Curitiba e Guarapuava, vinculados ao Departamento de Educação Especial, atuam junto aos 32 Núcleos Regionais de Educação e também auxiliam na formação e capacitação dos professores das Salas de Recursos Multifuncionais e Tradutores e Intérpretes de Libras.

Além do trabalho nas Salas de Recursos Multifuncionais e dos Tradutores Intérpretes de Libras, a Seed conta com três Escolas/Colégios Estaduais Bilíngues para Surdos, onde as atividades continuam a todo vapor.

“Mesmo durante o período de pandemia, é preciso assegurar que todos os estudantes da Rede Estadual de Ensino tenham seu processo de escolarização assegurados”, conclui a Coordenadora Cláudia Camargo Saldanha.

Sala de Recursos Multifuncionais frente à pandemia  – A oferta de escolarização neste momento de pandemia teve que se reinventar, e o mesmo aconteceu com o atendimento na Sala de Recursos Multifuncionais.

As Salas de Recursos Multifuncionais mantiveram seus atendimentos para todos os estudantes com deficiência que estavam matriculados, e os professores têm realizado um excelente trabalho, sempre buscando a interação com os estudantes para que nenhum fique pelo caminho neste momento de pandemia.

Fonte: Consed

Comentários no Facebook