O Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara (HGWA), do Governo do Estado, administrado pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), utilizou, pela primeira vez, o serviço da equipe de intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (Libras) através do TeleSaúde, central de atendimento criada para fortalecer a assistência à população na Atenção Primária à Saúde criada pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

O atendimento aconteceu através de vídeo chamada, logo após a unidade pediátrica do HGWA receber a paciente Sofia da Silva, de 5 anos, acompanhada de sua mãe deficiente auditiva, Keinaiane da Silva. Os profissionais, de imediato fizeram o contato com o serviço e o pediatra Tiago Castro conseguiu conversar com a mãe da paciente com o auxílio da intérprete Luanna Alves, coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da Sesa.

“A sofia chegou com quadro de infecção urinária e febre. No início sentimos dificuldade, pois nos deparamos com a barreira linguística e precisávamos passar algumas informações da saúde da criança para a mãe. Mas, logo apareceu a disponibilidade dos profissionais do serviço de tradução da Sesa o que nos ajudou a fazer esse atendimento”, disse o médico Tiago Castro.

Na última semana, as intérpretes Luanna Alves e Isabella Farias estiveram presencialmente no HGWA para, mais uma vez, auxiliar a equipe médica a passar informações sobre o estado de saúde da pequena Sofia. “Decidimos ir até a unidade para tranquilizar a mãe. Nosso trabalho é fazer com que a comunidade surda seja incluída. O acesso à saúde é uma necessidade básica e, por isso, é importante ter sempre alguém que possa ser canal, principalmente numa situação de saúde”, disse Luanna.

Keinaiane da Silva, com auxílio das intérpretes, agradeceu todo o apoio que recebeu durante a internação de Sofia, além da atenção de todos os profissionais e disse ter ficado aliviada quando conseguiu entender que o problema de saúde da sua filha era algo simples.

A equipe de intérpretes em Libras está disponível de 8h às 17h, de segunda a sexta-feira através da plataforma do TeleSaúde.

Fonte: ISGH

Comentários no Facebook