dsc_22531

Acre – Campus Floresta conta com seis alunos com deficiência auditiva. Vice-reitora diz que profissionais estão sendo contratados.

Alunos da Universidade Federal do Acre, campus Floresta em Cruzeiro do Sul, a 648 km da capital, procuraram o Ministério Público Federal nesta quinta-feira (9), para denunciar a falta de intérprete de Libras na instituição. Segundo os acadêmicos, seis alunos são surdos e enfrentam dificuldades para acompanhar as disciplinas ministradas nos cursos. Eles reivindicam que a Ufac contrate intérpretes pagando salários justos e respeitando as leis trabalhistas.

Os estudantes afirmam que o reitor da instituição foi informado do problema, adotou medidas paliativas, mas a situação segue sem ser resolvida. Alessandro Souza, de 34 anos, é aluno do 5º período do curso de pedagogia e diz que as condições oferecidas no campus Floresta são mínimas e estão causando prejuízos aos alunos com deficiência auditiva.

“A Ufac abre espaço para alunos com deficiência, mas não oferece um aparelhamento adequado para atender as necessidades deles”.

Segundo ele, desde 2013 os alunos estão sem a assistência adequada. Nesse período, foi aberta uma conversação, que resultou em contrato provisório, com pessoas atuando como intérpretes paliativamente e sem sequência na função.

Os líderes das turmas afirmam que os alunos estão tendo prejuízos por não conseguirem acompanhar as disciplinas. “A Ufac precisa fazer sua parte, aparelhar a instituição para que ela possa receber os alunos que apresentam necessidades especiais”, destaca Souza.

Ao G1, a vice-reitora da Ufac, Guida Aquino, informou que alguns professores de Rio Branco estão sendo enviados para atuar no campus em Cruzeiro do Sul. “Houve um atraso, mas já estamos em processo de contratação de profissionais para ficarem permanentemente no campus Floresta. Os professores que foram contratados desistiram dos contratos e estamos chamando os próximos da lista”, garante.

Fonte: http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2015/04/alunos-da-ufac-reivindicam-interprete-de-libras-em-cruzeiro-do-sul.html

Comentários no Facebook