A auxiliar de saúde bucal da Escola Profª. Guiomar Aparecida da Conceição de Sousa de Boiçucanga, na Costa Sul da cidade, Danila Moreira, se formou no curso básico da Língua Brasileira de Sinais (Libras) para conseguir se comunicar melhor e atender com mais qualidade alunos surdos da unidade, que já conta com intérpretes da língua de sinais nas salas de aula.

SÃO PAULO – Danila conta que fez o curso básico de Libras, oferecido pela Prefeitura de São Sebastião, por meio das secretarias da Educação (SEDUC) e da Pessoa com Deficiência e do Idoso (SEPEDI) e, que já está usando tudo que aprendeu nos atendimentos. “Temos duas crianças surdas na escola e na creche também temos uma com deficiência auditiva e agora consigo me comunicar com elas para incentivar e ensinar sobre a escovação e a saúde bucal”, comemorou.

Ainda segundo a auxiliar de saúde bucal essa é uma prestação de serviço inédito na Prefeitura e já está fazendo a diferença na Costa Sul. “Antes eu ficava com vergonha por não conseguir conversar de uma forma que as crianças entendessem. Agora que aprendi a língua de sinais, não. Sinto que posso ajuda-las e, quando preciso, tiro algumas dúvidas com as professoras intérpretes”, acrescentou.

Curso de Libras

Em junho deste ano, a Prefeitura formou a primeira turma do curso básico de Libras com mais de 100 alunos. E já criou duas novas turmas para aprenderem a língua de sinais neste segundo semestre. As aulas serão realizadas nas escolas municipais Henrique Botelho, na Vila Amélia e, na Escola Guiomar, em Boiçucanga.

No total, 200 vagas foram ofertadas, sendo 100 para a Região Central e outras 100 para a Costa Sul. Gratuito e aberto ao público, o curso tem carga horária de 80 horas, distribuídas em 15 aulas.

Para esta edição, as vagas já foram preenchidas, no entanto, um novo período de inscrições iniciará em fevereiro de 2020.

Fonte: http://www.saosebastiao.sp.gov.br/noticia.asp?id=N78201901942

Comentários no Facebook