Vereador André Bandeira (PSDB) acompanhou recepção no CPI-9 e destacou importância de divulgação.

SÃO PAULO – Um grupo de 15 pessoas surdas e mudas se inscreveram na tarde desta terça-feira (30) no serviço de atendimento da Polícia Militar (190) e do Corpo de Bombeiros (193). O vereador André Bandeira (PSDB) acompanhou a recepção no CPI-9 (Comando de Policiamento do Interior) e ressaltou a importância da divulgação do canal de inclusão oferecido pela corporação.

Implantado em 2012, o serviço tem baixo número de inscrições. De acordo com os dados da PM, são cerca de dois mil em todo o Estado de São Paulo. Por conta desta situação, é desenvolvido trabalho constante de divulgação, a partir de parcerias com agentes políticos e entidades que atuam com o público-alvo.

“Tivemos um evento, recentemente, em que reunimos cerca de 80 pessoas surdas e mudas, onde divulgamos este serviço”, recorda André Bandeira. A partir da organização de pessoas com deficiência, eles decidiram ir em grupo para realizar o cadastro.

O atendimento é rápido, não demora mais de um minuto para inscrever o beneficiário no sistema da PM. Munidos de documentos oficiais, comprovante de endereço e o número de telefone, eles repassaram a informação à encarregada.

“Com este cadastro, sabemos em qual condição o cidadão entrou em contato conosco, o que facilita o encaminhamento da ocorrência”, explica a 1ª-tenente da PM Luciana Telesca.

Em caso de ocorrência, eles encaminham um SMS e a ocorrência segue ao CPI, em São Paulo, que transmite para a área de atuação da PM. “É importante destacar que não é uma mensagem via whatsapp”, acrescenta PM Luciana. Ela enfatiza que os cadastros devem ser feitos no batalhão para haja controle, “infelizmente temos muitos problemas com trotes no telefone 190”, disse.

O professor, Renê Isael Costa Beserra, foi um dos que se inscreveu no serviço da PM. Ele sugeriu que a corporação tenha atendimento com tradução em Libras (Língua Brasileira de Sinais), o que facilitaria ainda mais o procedimento. O grupo foi acompanhado da professora Beatriz Turetta, que, embora não seja tradutora profissional, contribuiu para o contato do grupo.

“Mas, sem dúvida, hoje me sinto mais seguro em poder entrar em contato com a polícia, em caso de necessidade”, disse Renê.

SERVIÇO – A sede do CPI-9 está localizada na rua Américo Vespúcio, 438. O atendimento é das 9h ao meio-dia e das 13h às 18h. Mais informações: (19) 3421-4515.

Fonte: http://camarapiracicaba.sp.gov.br/grupo-de-surdos-se-inscreve-em-servico-de-atendimento-da-pm-44875

Comentários no Facebook