Ensinar LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) nas escolas de Santos. Este é o objetivo do Projeto de Lei nº 29/2019, de autoria do presidente da Câmara, vereador Rui De Rosis, apresentado no último dia 14 de fevereiro.

SÃO PAULO – Somente no Brasil são mais de 10 milhões de surdos. O Projeto de Lei estabelece o ensino obrigatório de LIBRAS como disciplina curricular obrigatória para crianças surdas e também ouvintes, matriculadas nas instituições privadas.

“A escola tem papel fundamental na formação dos cidadãos. É um lugar de aprendizagem, de diferenças e de trocas de conhecimento. Por isso, é na escola que devemos iniciar a inclusão dos surdos, com o ensino de LIBRAS”, explica o autor da propositura.

Diferente dos ouvintes, grande parte das crianças surdas entram na escola sem o conhecimento da língua, sendo que a maioria delas vem de famílias ouvintes que não sabem a língua de sinais. “Por isso, é imprescindível que o ensino de LIBRAS seja incluído nas séries iniciais do ensino fundamental, para que o surdo possa adquirir uma língua e posteriormente receber informações escolares em língua de sinais. Portanto, há a necessidade que a LIBRAS seja, no contexto escolar, não só língua de instrução, mas uma disciplina a ser ensinada”, ressalta De Rosis.

O papel da língua de sinais na escola vai além da importância para o desenvolvimento do surdo. “Não basta somente a escola colocar duas línguas nas classes, é preciso que haja a adequação curricular necessária, apoio para os profissionais especializados para favorecer surdos e ouvintes, a fim de tornar o ensino apropriado a particularidade de cada aluno”.

Fonte: http://www.camarasantos.sp.gov.br/publico/noticia.php?codigo=8683&cod_menu=8683

Comentários no Facebook