Associação de funcionários terceirizados diz que Secretaria Estadual de Educação não repassa verbas com regularidade. Cuidadores estão com salário e benefícios atrasados.

Alunos com necessidades especiais da rede estadual do RJ estão sem aulas por falta de cuidadores e intérpretes de Libras – a Língua Brasileira de Sinais.

Uma funcionária da Associação para Desenvolvimento Social, Educacional, Cultura e de Apoio à Inclusão, Acessibilidade e Diferença (Adeso) – empresa terceirizada que dá assistência a esses alunos – diz que não está recebendo da Secretaria Estadual de Educação.

O contrato da secretaria com a Adeso, no valor de R$ 7 milhões, tem validade de um ano e termina em setembro.

A secretaria garante que repassa o dinheiro, mas a Adeso diz que funcionários não estão sendo remunerados corretamente há meses, e alguns não têm dinheiro para ir para o trabalho.

“Estamos com os salários atrasados, vale-transporte, vale-refeição. Estamos desde fevereiro sem receber nossos benefícios”, reclamou uma funcionária. “Tentamos fazer o melhor possível pelos alunos. Precisamos ter os nossos salários e benefícios em dia. Sem esse jogo de empurra”, emendou.

“Tem gente trabalhando sem carteira assinada até hoje. E o ano letivo começou em fevereiro. É uma falta de respeito com os alunos também, porque eles precisam. Cuido de um aluno que é cadeirante, ele depende de mim até para ajudá-lo a escrever”, acrescentou.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação informou que está em dia com todos os pagamentos com a Adeso e que vai rescindir o contrato na próxima semana já que advertiu, notificou e multou diversas vezes pelo mau serviço prestado, e pela não regularização dos pagamentos dos funcionários.

Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/05/29/alunos-com-necessidades-especiais-da-rede-estadual-do-rj-estao-sem-aula-por-falta-de-cuidadores.ghtml

Comentários no Facebook