Avaliação foi feita pelo MEC nas Instituições de Ensino Superior.

A Universidade Federal de Alagoas está entre as Instituições de Ensino Superior (IES) com melhores cursos de Libras do Brasil, segundo a avaliação feita pelo Ministério da Educação (MEC). No total, foram 33 universidades avaliadas e a Ufal ficou na 5ª colocação, ou seja, seu curso Letras-Libras está entre os cinco melhores do país.

A avaliação do MEC foi feita com Conceito de Curso (CC), realizado por meio de uma análise presencial dos técnicos do MEC. À frente do curso da Ufal estão os das universidades federais do Paraná (UFPR), de Santa Catarina (UFSC), da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UnoChapecó) e da federal de São Carlos (UFSCar). “Somos a primeira universidade em que o curso de Letras-Libras possui um prédio próprio”, afirmou o professor Radjalma Teixeira, coordenador do curso de Letras-Libras da Ufal.

O docente diz ainda que esse é resultado de um esforço conjunto.  “Temos trabalhado incansavelmente para que o curso ofereça estruturas organizacional e administrativo-pedagógica de qualidade”, declarou.

Teixeira atribui a conquista a um trabalho iniciado em 2013, quando a professora Eliane Barbosa, então diretora da Faculdade de Letras (Fale), em conjunto com outros docentes, apresentou ao Consuni a proposta de implantação do curso de licenciatura em Letras-Libras. A proposta foi aprovada em 7 de outubro de 2013.

Visão interdisciplinar

Professor Radjalma Teixeira, coordenador do curso de Letras-Libras

Os alunos do curso discutem questões relacionadas ao trabalho do professor e à atualização profissional. “Nossos estudantes ainda debatem pontos referentes ao desenvolvimento e à avaliação da aprendizagem, ao currículo, à pesquisa educacional, à organização e à gestão do trabalho escolar, e à política e à organização da educação básica”, explicou o professor Teixeira.

Ainda segundo o coordenador, o currículo do curso de Letras-Libras busca proporcionar ao discente uma visão interdisciplinar do conhecimento. “O projeto pedagógico do curso favorece uma visão mais ampla das ciências e uma constante articulação entre ensino, pesquisa e extensão, suscitando, portanto, seu interesse por docência e pesquisa”, reafirmou.

Os alunos que se formam em Letras-Libras, segundo Teixeira, estão aptos a serem professores com uma série de habilidades. Ele declara, ainda, que os profissionais formados passam a ter o domínio das habilidades linguísticas de compreensão e expressão em situações diversas, a aptidão à seleção e à elaboração de materiais de ensino e aprendizagem de Libras, o conhecimento sobre os métodos de ensino-aprendizagem voltados ao ensino de Libras, entre outras.

Seguindo os princípios das licenciaturas da Ufal e estando em consonância com o que recomenda o Plano Nacional de Educação, o curso de Letras-Libras conta atualmente com 14 professores efetivos, um professor substituto, 11 tradutores e intérpretes de Libras para a língua portuguesa, sendo dois temporários, além de uma técnica em audiovisual, uma assistente administrativa e uma técnica em assuntos educacionais. “Esperamos dos calouros, sejam surdos ou ouvintes, entusiasmo e determinação na busca de serem futuros profissionais na área do ensino da Libras”, falou Teixeira, a respeito dos alunos que irão ingressar no próximo semestre.

Fonte: Universidade Federal de Alagoas

Comentários no Facebook