Projeto estabelece que a educação bilíngue de surdos tenha a língua brasileira de sinais (Libras)

“É um grande ganho para a comunidade surda”, afirma o vereador  Professor Ivamberg (PT) sobre a aprovação do Senado Federal ao Projeto de Lei n° 4909/2020 na noite de ontem (25). A proposição faz alterações na Lei de Diretrizes e Bases Nacionais da Educação (LDB) para qualificar a educação de surdos como modalidade de ensino independente.

Na sessão ordinária da Casa da Cidadania desta quarta-feira (26), o parlamentar externou a sua satisfação com a aprovação do texto, que segue para a Câmara de Deputados.

O projeto estabelece que a educação bilíngue de surdos tenha a língua brasileira de sinais (Libras) como primeira língua e o português escrito como segunda.

Na opinião de Ivamberg, a medida irá aumentar a inclusão dos surdos nas escolas brasileiras, já que o ensino será realizado tanto em escolas e classes bilíngues de surdos, como em escolas comuns ou em polos de educação bilíngue.

Outra alternativa para a inclusão da comunidade surda defendida pelo vereador é a presença de intérpretes em órgãos públicos e particulares para oferecer atendimento especializado a quem se comunica pela Libras.

Fonte: Boca de Forno

Comentários no Facebook