Um projeto de três estudantes gaúchos tem englobado inclusão e inovação. O aplicativo desenvolvido pelo grupo será capaz de traduzir de Libras (Língua Brasileira de Sinais) para português. No Charles Tradutor, como foi batizado, a pessoa precisa fazer sinais em frente à câmera do celular para que a tradução apareça, por escrito, na tela.

A ideia surgiu durante uma aula da faculdade. Luísa Scaletsky, estudante de Design de Produto na UFRGS e uma das criadoras do app, teve a ideia da ferramenta durante uma cadeira de Libras. “Estudando a língua, percebi que só havia aplicativos que fazem o caminho inverso, do português para Libras. A tradução do gesto é mais difícil, a ideia do app é simplificar”, destacou.

Anderson Kloss e Virgilius Santos, estudantes da PUCRS, são os desenvolvedores do Charles Tradutor, ao lado de Ramon Saraiva. Luísa é a designer. Recentemente, o grupo foi finalista do prêmio Campus Mobile, do Instituto Claro Net Embratel, na categoria diversidade.

De acordo com o IBGE, mais de 9,7 milhões têm deficiência auditiva no Brasil.  A Língua Brasileira de Sinais foi reconhecida como oficial em 2002, e tem variações regionais e linguísticas. Por isso, a parte de identificação dos gestos ainda está sendo trabalhada e aprimorada pelos desenvolvedores do app, para que os deficientes auditivos tenham um banco de dados com o maior número possível de sinais com tradução.  Mais detalhes do aplicativo estão no Instagram.

Fonte: https://www.metrojornal.com.br/social/2019/06/02/estudantes-de-porto-alegre-desenvolvem-aplicativo-que-traduz-libras.html

Comentários no Facebook