Dessa vez as denúncias vem de Mesquita no Rio de Janeiro.

Após queixas e denúncias de leitores do nosso portal fomos em busca de informações sobre a situação dos “surdos” no município de Mesquita, região metropolitana do Rio de Janeiro – RJ, o município segundo o IBGE de 2017 já totaliza 171.280 habitantes.

Desta vez foi de moradores de Mesquita que estão bastante revoltados com a falta de inclusão e preocupação da prefeitura. Reclamações seguem baseadas na falta de atendimento em libras em unidades de saúde e serviços públicos, “Nem mesmo na prefeitura se encontra um intérprete de Libras” disse a internauta sobre a falta de inclusão. Em sua queixa a moradora também relata a inauguração de alguns serviços mas sempre sem o atendimento específico para os surdos, locais importantes como:

Faixa confeccionada para o manifesto

“Meu filho tem 21 anos, em todas as consultas os médicos se dirigem a mim, sequer olham p/ ele. É constrangimento com tristeza” Cássia Lícia moradora de Mesquita.

A mãe faz um convite a todos, nesta próxima terça (19/FEV) manifestantes, surdos, pais e apoiadores farão um manifesto durante uma sessão na câmara dos vereadores localizada na Rua Barão de Salusse, 1950 – Edson Passos, Mesquita – RJ. A mãe pede a todos que participem e que façam a “voz” do movimento, temos exemplos de locais de atendimento público onde os intérpretes atuam e o atendimento é no mínimo compreensivo.

Da Prefeitura:
Após contato com o atual prefeito da cidade Jorge Miranda e a assessoria de comunicação da Prefeitura (Alex Cunha), conseguimos uma nota de esclarecimento.

“A Subsecretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de Mesquita, responsável pela Coordenadoria dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CORDEF), informa que está estabelecendo uma parceria com o Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), para oferecer um treinamento de Língua dos Sinais, para os profissionais que fazem o atendimento em serviço municipal e para implementar um serviço de ajuda técnica como VideoLibras (tradução simultânea) nas unidades de saúde.

Vale lembrar que este a Clínica da Família Jorge Campos, localizada no bairro da Coreia, foi inaugurada em julho passado, portanto trata-se de um equipamento relativamente novo, em que alguns serviços adicionais, que não estritamente relacionados à saúde, estão sendo implementados.

A subsecretaria reforça ainda que vem trabalhando exaustivamente para a inclusão, não só dos surdos, como de pessoas com todo tipo de deficiência, e não só nos serviços públicos.”

Fonte: https://pcdef.com.br/deficiencia/auditiva/novas-unidades-hospitalares-mas-sem-atendimento-em-libras/

Comentários no Facebook