Nesta versão do aplicativo tradutor de língua de sinais usuários poderão personalizar avatar e enviar sugestões para traduções

Pesquisadores do Centro de Informática (CI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) disponibilizaram uma nova atualização do aplicativo VLibras. A nova versão traz funções como a personalização do avatar 3D, histórico das traduções, avaliação do aplicativo e envio de sugestões para as traduções, além de ajustes na interface e melhorias no sistema de tradução e dicionário.

No aplicativo é possível escolher o regionalismo das traduções para o padrão nacional ou por estados da federação, o que facilita na tradução de termos específicos utilizados em cada região do país. Na nova atualização, o usuário pode personalizar o seu avatar de acordo com gênero, cor de pele, olhos e cabelos e escolher também a cor da roupa, antes disponível apenas para versão em computadores.

O aplicativo possui um conjunto de ferramentas gratuitas e de código aberto, criadas para traduzir conteúdo do português para Libras, identificando performances e emoções. Durante a criação do VLibras foram analisadas emoções como alegria, tristeza, medo, raiva, surpresa e nojo, com a finalidade de reproduzir as emoções no avatar 3D. Nessa atualização também está disponível a função de avaliar as traduções feitas pelo aplicativo por meio do botão aprovar ou desaprovar. Caso o usuário não aprove a tradução disponível, ele terá a opção de sugerir uma tradução melhor.

O Prof. Tiago Maritan, do Departamento de Informática da UFPB e coordenador da iniciativa, afirmou que essa interação com os usuários e as contribuições que eles possam fornecer é importante para melhorar o componente de inteligência artificial do VLibras, uma vez que ele é um tradutor inteligente que aprende a partir de exemplos.

“O aplicativo tem um potencial de reduzir as barreiras de comunicação e de acesso a informação das pessoas surdas. Apesar da comunidade surda saber português, a língua natural de comunicação deles é Libras e, normalmente, é muito difícil você prover informação em libras no mundo digital”, afirmou o docente.

Além das novas funcionalidades do aplicativo de tradução, o projeto disponibilizará mais uma atualização prevista para este mês de novembro, onde, além dos avatares adultos, Ícaro e Hozana, será disponibilizado um avatar infantil, chamado Guga, que foi apresentado no Instagram do projeto no dia 12 de outubro.

Capaz de traduzir conteúdos digitais em texto, áudio e vídeo, a ferramenta realiza cerca de 100 mil traduções por dia, possui 70 mil frases treinadas por Inteligência Artificial e mais de 17 mil sinais em sua biblioteca. Pode ser usado em computadores, celulares e plataformas web, tornando a comunicação mais acessível para pessoas surdas, o que proporciona a elas mais autonomia e independência.

O VLibras é um resultado da parceria entre o Ministério da Economia (ME) e a UFPB, por meio do Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital (LAVID). Foi desenvolvido por uma equipe de professores, pesquisadores, estudantes, intérpretes, consultores surdos e linguistas. O aplicativo está disponível, gratuitamente, para usuários Android e iOS, e também pode ser usado em computadores por meio de uma extensão no navegador. Os links para baixar as ferramentas de uso do VLibras estão disponíveis na página do site do ME, do Governo Federal.

Karaokê

Outra ferramenta que está sendo desenvolvida é o primeiro jogo eletrônico do projeto, um karaokê em Libras, chamado Libraskê, que tem como objetivo aproximar as pessoas da Língua Brasileira de Sinais por meio da música. No jogo, que já está na etapa de finalização, o avatar mostrará os sinais da música e o usuário precisará repeti-los em frente à câmera do seu computador. Uma ferramenta capturará os movimentos e registrará tudo. O sistema fará a contagem de pontos, que os usuários poderão acumular e utilizar para desbloquear conteúdos e recursos extras.

Fonte: Universidade Federal da Paraíba

Comentários no Facebook