Utilizando a tribuna na tarde desta terça-feira, 17, no plenário da Câmara Municipal de Fortaleza pelo tempo do Grande Expediente, o vereador Adail Júnior (PDT), apresentou um projeto de sua autoria, PLO nº 332/2019, que assegura todas informações e direito de atendimento aos deficientes auditivos por meio da língua brasileira de sinais – LIBRAS, em todas as instituições públicas de Fortaleza.

CEARÁ – De acordo com o parlamentar, o projeto de lei assegura o direito dos surdos e dos deficientes auditivos serem atendidos por servidores ou funcionários capacitados para que haja comunicação por meio da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS em repartições públicas municipais, Unidades de Saúde, Secretarias, Fundações e Autarquias do Município de Fortaleza.

“A Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS foi reconhecida como língua oficial por meio da Lei nº 10.436/2002, atualmente é a segunda língua mais falada no Brasil pela comunidade surda. Para se ter uma ideia, segundo dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE), a cidade de Fortaleza possui 144.997 pessoas com algum grau de deficiência auditiva, dentre elas 4.968 com surdez absoluta”, frisou o vice-presidente da CMFor, Adail Júnior.

O vereador atentou ainda que o número expressivo de surdos e deficientes auditivos têm se tornado uma barreira quanto a necessidade de informações e serviços nos órgãos públicos. “Nosso projeto foi criado após relatos de alguns servidores de Secretarias que não conseguem atender o público específico pela dificuldade na comunicação”, atentou. Conforme o projeto o objetivo é sanar o problema de comunicação entre o Poder Público Municipal e a comunidade surda de Fortaleza garante ao cidadão o direito de expressão.

Fonte: http://www.cmfor.ce.gov.br/projeto-reforca-politica-de-acessibilidade-para-comunidade-surda/

Comentários no Facebook