A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou uma indicação ao governo para que promova estudos com vistas à regulamentação das condições de oferta do ensino da Língua Brasileira de Sinais (Libras) na educação básica.

Indicações são sugestões feitas pelos deputados ao Poder Executivo, que não é obrigado a cumpri-las. A indicação foi elaborada pela deputada Caroline de Toni (PSL-SC) e tem origem em uma proposta relatada por ela.

O Projeto de Lei 2040/11, do Senado, obriga as escolas públicas e privadas a utilizar a Língua Brasileira de Sinais (Libras) com todos os estudantes surdos em qualquer nível ou modalidade da educação básica.

Toni decidiu apresentar um parecer contrário à essa proposta (e às demais que tramitam em conjunto) por entender que ela enfrenta um obstáculo legal: a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) condiciona a inclusão de novos componentes curriculares de caráter obrigatório, no ensino básico, à aprovação prévia do Conselho Nacional de Educação e à homologação pelo ministro da Educação.

Mas, diante da relevância da questão, em vez de simplesmente rejeitá-la, a relatora optou por transformar a proposta do Senado em uma indicação ao Poder Executivo, que foi aprovada pela CCJ.

Fonte: https://www.camara.leg.br/noticias/625093-ccj-recomenda-ao-governo-estudar-a-oferta-de-libras-na-educacao-basica/

Comentários no Facebook