O trabalho já está sendo aproveitado em outra instituição de ensino de Itumbiara.

A partir de inquietações em comum, estudantes e professores se uniram para um objetivo muito especial: a criação de sinais de vidrarias para laboratório de química do IFG Câmpus Itumbiara. A necessidade surgiu a partir de relatos da interprete do Câmpus em reuniões do  Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (Napne), sobre a existência de poucas literaturas sobre a criação de sinais no curso de Licenciatura em Química .

Constatada então essa necessidade de um processo de ensino aprendizagem exitoso e eficaz, o grupo de alunos e docentes se uniu para a criação destes novos sinais capazes de representar as vidrarias. Durante a elaboração, a atividade foi tão prazerosa e interessante, que os outros graduandos ouvintes também se envolveram e acabaram aprendendo a identificar os sinais também, o que gerou uma interação maior entre a turma. Como resultado, o grupo apresentou na Secitec deste ano um trabalho em forma de resumo expandido denominado “Glossário em Libras para Vidrarias de Laboratório de Química”.

O glossário criado no âmbito do Câmpus já está sendo utilizado em outra instituição de ensino de Itumbiara. A decisão de aproveitar o guia foi do ex-aluno da Licenciatura, Rogério Pacheco, que é analista pedagógico no Senai e atua como intérprete no curso profissionalizante de Auxiliar de Produção de Açúcar e Álcool, onde seis alunos surdos estão matriculados. Rogério comenta que a aceitação do glossário por seus alunos foi muito positiva e acabou gerando interesse de outros professores de química também.

Os autores do artigo explicam que pelo fato de a Língua Brasileira de Sinais (Libras) não ser universal, existem carências de sinais, e muito disso se reflete no ensino acadêmico. O grupo acredita que esse tipo de pesquisa desenvolvida no Câmpus “abre possibilidades para que outros institutos federais criem os seus próprios guias”.

Colaboração
O glossário de vidrarias em linguagem de sinais está disponível para consulta no site do Câmpus Itumbiara na aba do Ensino, dentro da parte de Documentos do Ensino. O material apresenta imagens e explicações a respeito da característica dos objetos, as funções e ainda as expressões e movimentos que o intérprete deve fazer para representar corretamente cada item. Além dos autores do artigo, quem também colaborou com a colaboração do glossário foi o Napne, Grupo PET Química e graduandos das engenharias.

Para saber mais, acesse o Resumo Expandido do Glossário em formato.pdf ou formato .pptx

Fonte: https://www.ifg.edu.br/ultimas-noticias-campus-itumbiara/11448-libras

Comentários no Facebook