- Continua depois da publicidade -

Proporcionar uma educação bilíngue de qualidade e garantir a igualdade de oportunidades para bebês, crianças, jovens e adultos surdos de Guarulhos.

A rede municipal se compromete dia a dia com o avanço nas políticas públicas de inclusão, como a oferta de classes bilíngues para surdos, curso de português para surdos, dentre outras ações de acessibilidade, respeito e valorização das diferenças.

Regulamentada em 2019 pela lei municipal 7.795, a criação das classes bilíngues nas Escolas da Prefeitura de Guarulhos é um marco importante na educação da cidade para a garantia dos direitos linguísticos, culturais e educacionais dos educandos surdos. Desde então, as ações têm contribuído ativamente para a socialização dos estudantes surdos e ouvintes dentro do ambiente escolar.

A iniciativa visa a atender necessidades específicas de cada criança e valorizar a identidade linguística e cultural da comunidade surda, além de assegurar seu pleno desenvolvimento cognitivo e social com as famílias.

Atualmente a rede municipal de ensino atende cerca de 70 alunos surdos e conta com três polos, nas EPGs Crispiniano Soares, no Jardim Bom Clima, Edson Nunes Malecka, no Jardim Ponte Alta, e Anísio Teixeira, na Vila Paraíso. Recentemente houve a retomada do trabalho com os surdos da Educação de Jovens e Adultos na EPG Dorival Caymmi, na Vila Any.

“Estamos plenamente satisfeitos com o amor que os professores têm em ensinar, o modo como a escola acolheu o meu filho e por nos orientar. Antes estávamos perdidos, sem um norte a seguir, e hoje sabemos como agir e aceitamos com alegria. A integração com os pais é um diferencial em relação à antiga escola, que não tinha classe bilíngue para surdos. Nós participamos de palestras, reuniões que nos dão voz, troca de experiências, além de conhecermos o ambiente escolar em que o nosso filho passa boa parte do tempo”, elogiou Eliseu Custódio Martins, pai de Lukas Santos Martins, de oito anos, aluno do estágio I da EPG Anísio Teixeira.

O pai destacou ainda a boa interação que o filho teve com a turma. “Agora o Lukas é compreendido, não fica isolado, é aceito. E nós entendemos que a linguagem que ele se comunica é Libras (Linguagem Brasileira de Sinais)”.

Inclusão para todos

Em 2022 teve início o atendimento de bebês surdos de zero a três anos, matriculados nas escolas de educação infantil (creches) da rede municipal, iniciativa alinhada à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, segundo a qual a oferta de educação bilíngue de surdos terá início no ano zero do bebê, na educação infantil e se estenderá ao longo da vida.

O atendimento reforça a importância que as famílias têm na aprendizagem e na comunicação de crianças surdas, com a utilização de Libras como língua de instrução e mediação e o português escrito como segunda língua.

Formações específicas para professores bilíngues

A Secretaria de Educação promove diversas formações que aprofundam as singularidades das crianças surdas e seu processo de aprendizagem, as relações entre língua e linguagem e o ensino das primeiras enunciações.

“A rede municipal oferece atendimento por meio de uma professora itinerante, rodas de conversa sistemáticas com as famílias, formação em Libras para os professores das escolas dos bebês e formação específica com os professores bilíngues, além de acompanhar o processo de transição da creche para a escola da criança. Realizamos um trabalho que é referência no Estado de São Paulo para a comunidade surda, principalmente na primeira infância”, explica Rafael Miguel, coordenador de Programas Educacionais da secretaria, sobre o uso de Libras como direito linguístico.

Curso de português para surdos

A Prefeitura oferece ainda o curso de português como segunda língua para surdos gratuitamente no Centro Municipal de Educação e Artes (Cemear). As aulas tiveram início em 2022 com o objetivo de ampliar o conhecimento da leitura e da escrita da língua portuguesa para crianças e jovens com idades entre dez e 17 anos.

As aulas de português são ministradas com o uso de Libras como primeira língua aos participantes por meio de vivências, dinâmicas, jogos e encaminhamentos didático-metodológicos adequados às suas peculiaridades linguísticas.

Nesse contexto, a Língua Brasileira de Sinais assume a centralidade no processo e tem o papel de língua de instrução e de mediação para o desenvolvimento do aprendizado paulatino da língua portuguesa na modalidade escrita. Sendo assim, Guarulhos avança cada vez mais como potente espaço formativo, inclusivo, público e gratuito para alunos surdos.

Saberes em Casa

Durante a pandemia a Prefeitura de Guarulhos lançou o programa diário Saberes em Casa, com uma série de atrações para crianças, adolescentes, jovens e adultos, veiculado no YouTube pelo portal da Secretaria de Educação. Na época também esteve presente em alguns canais de TV da cidade.

Além de toda a programação possuir um intérprete de Libras, o programa apresenta o quadro Libras em Casa, que tem como objetivo acessar o currículo por meio da Língua Brasileira de Sinais a partir do ensino, da construção, do aprofundamento e do compartilhamento de diversos conhecimentos. As propostas contribuem para a difusão e o uso de Libras pelos educandos surdos, permitindo também que, gradativamente, construa-se um caminho da Libras como língua adicional de muitas crianças ouvintes para que possam aprender e produzir suas primeiras sinalizações a partir do programa.

Fonte: Prefeitura de Guarulhos

- Publicidade -