Conteúdo usando a Língua Brasileira de Sinais (Libras) chegou a 5 mil visualizações

Buscando a inclusão da comunidade surda nas informações sobre o novo coronavírus, o professor do Centro de Estudos Superiores de Parintins da Universidade do Estado do Amazonas (Cesp/UEA), Marlon Jorge Silva, produziu um vídeo usando a Língua Brasileira de Sinais (Libras) para informar sobre os cuidados e as recomendações no período de pandemia.

A ideia surgiu das observações do professor, diante da falta de material e conteúdo característicos para os surdos. Reconhecida como meio legal de comunicação e expressão no Brasil em 2002, Libras ainda sofre de uma comunicação inclusiva e efetiva no país.

Isso levou o professor a publicar um vídeo com o tema “Assintomáticos – Coronavírus em libras”, em que alerta para os principais sintomas e fala sobre as pessoas assintomáticas, as formas de contaminação e a prevenção com o uso de máscaras e álcool em gel.

Professor – Surdo desde os 10 anos de idade, o professor Marlon entende a situação da cultura surda em ter uma receptividade da sociedade. “Temos o direito de uma comunicação acessível para nos sentirmos incluídos”, assinala ele, que também defende o uso de máscaras adaptadas transparentes para atendimento ao público surdo, pois a gesticulação labial faz parte da língua de sinais. “Resolvi fazer o vídeo em Libras para que a comunidade surda compreendesse as informações”.

O vídeo voltado para acadêmicos surdos de Parintins e para a comunidade surda de Manaus teve grande repercussão, chegando a 5 mil visualizações. O professor, que também é coordenador do Núcleo de Acessibilidade do Cesp/UEA e presidente da Associação dos Surdos de Parintins (Aspin), pretende continuar produzindo vídeos, de forma a possibilitar a acessibilidade por meio das informações inclusivas.

“Senti que os surdos ficaram felizes e compreenderam as principais informações sobre os cuidados e atenção que devemos ter sobre a pandemia e que devemos nos prevenir usando sempre máscara e o álcool gel”, disse.

Dúvidas – Integrantes da comunidade surda interessada em obter informações e tirar dúvidas podem entrar em contato com o Núcleo de Acessibilidade do Cesp/UEA pelo número (92) 99415-9521 ou nas redes sociais. A equipe dispõe de intérpretes e monitores bolsistas que orientam por meio de vídeos e mensagens de texto.

Confira o vídeo produzido pelo professor Marlon Jorge Silva por meio do link: https://www.facebook.com/100002078986379/posts/3085728554839747/?d=n

Fonte: Governo do Estado da Amazonas 

Comentários no Facebook