13_jo_libras_certaProfissionais promovem a inclusão de estudantes surdos e com baixa audição

A Prefeitura de Contagem, sempre atenta à inclusão de estudantes com deficiência, acaba de receber 47 tradutores e interpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras) que atuarão neste ano letivo, nas escolas da Rede Municipal de Ensino. O grupo, que já iniciou as atividades em sala de aula, desde o dia 7/4, chegou para assegurar a efetiva inclusão dos educandos surdos e com baixa audição.

De acordo com o secretário de Educação, professor Ramon, por lei, o ingresso e a permanência do estudante surdo nas escolas comuns devem ocorrer mediante a oferta da educação bilíngue. “Isso quer dizer que o ensino de Libras e o ensino da modalidade escrita da língua portuguesa devem caminhar juntos”, explicou o secretário.

Além do trabalho dos profissionais de Libras, Contagem desenvolve uma série de outras ações para aprimorar a educação inclusiva nas escolas da prefeitura, que hoje atende cerca de 1,2 mil estudantes com deficiência. Diariamente, mais de 500 profissionais, entre estagiários e cuidadores, atuam para dar suporte pedagógico e auxiliar nas atividades de vida diária, como cuidados com a higienização, alimentação e locomoção dos estudantes no ambiente escolar.

Políticas de Inclusão
Segundo a diretora de departamento da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), responsável pela inclusão, Sebastiana Rangel, em apenas dois anos, a atual gestão municipal já garantiu quase R$ 427 mil para custear despesas por meio do Programa Escola Acessível, em 35 unidades escolares.

Os recursos são utilizados para obras de qualificação da acessibilidade, como adequação de banheiros, alargamento de portas e vias de acesso, construção de rampas, instalação de corrimão e de sinalização tátil, visual e sonora. Podem ser destinados, ainda, para aquisição de cadeira de rodas, mobiliário e material desportivo apropriados para estudantes com deficiência, além de outros equipamentos de tecnologia assistiva.

Contagem conta ainda com 23 Salas de Recursos Multifuncionais (SRM) para qualificar o atendimento a estudantes com deficiência, matriculados na Rede Municipal de Ensino. Os espaços são destinados ao Atendimento Educacional Especializado (AEE) e beneficiam cerca de 600 estudantes. As salas, implantadas em parceria com o Ministério da Educação (MEC), são dotadas de mobiliário adaptado e de material de tecnologia assistiva como notebooks e softwares para atendimento a todos os tipos de deficiências e suas variadas especificidades.

Cada sala possibilita o atendimento de, aproximadamente, 25 estudantes. Eles são acompanhados por professores e/ou pedagogos com formação específica para o atendimento. “O papel desses profissionais é estimular o estudante a explorar todas as suas potencialidades, independentemente de suas limitações. Isso reflete no desenvolvimento social, cognitivo e até na conquista de mais autonomia”, explicou o secretário de Educação, professor Ramon.

AEE Móvel
Este ano, a Seduc implantou também o AEE Móvel, serviço de apoio e suporte às crianças com deficiência atendidas nos 34 Centros Municipais de Educação Infantil (Cemeis), localizados em todas regiões da cidade. O trabalho está sendo desenvolvido por quatro professores de AEE, selecionados especificamente para atuar não só com as crianças, como também com as famílias e as escolas que atendem educandos de zero a cinco anos.

“Estudos comprovam que, quanto mais cedo ocorre o estímulo, melhor será o desenvolvimento das habilidades da criança, independentemente do tipo de deficiência. A expectativa da Seduc é que esse trabalho do AEE Móvel possa contribuir para que essas crianças tenham melhor rendimento quando alcançarem o ensino fundamental”, concluiu o secretário.

Fonte: http://www.contagem.mg.gov.br/?materia=696001

Comentários no Facebook