EPTV acompanhou um dia na rotina de uma das estudantes. Prefeitura de Campinas disse que o problema é pontuou e pretende resolver.

SÃO PAULO – Os pais de crianças com deficiência auditiva reclamam do transporte oferecido pela Prefeitura de Campinas (SP). De acordo com eles, a oferta de vans para levar os alunos do distrito do Campo Grande até a Escola Muncipal Júlio de Mesquita, no Jardim São Vicente, diminuiu e agora apenas um veículo atende a região. O tempo de viagem, contando ida e volta, chega a 3 horas.

De acordo com a Prefeitura, não houve redução no número de veículos, mas sim aumento, passando de três para quatro. O problema, segundo o Executivo, está em uma linha que atende 13 estudantes do distrito do Campo Grande, e que sofreu impacto por conta das obras do BRT (Bus Rapid Transit, na sigla em inglês). Por isso, a questão é pontual, informou a administração.

A EPTV, afiliada da TV Globo, acompanhou um dia na rotina de Maria Eduarda Oliveira, de 10 anos, que nasceu com baixa imunidade e por isso tem problemas auditivos. Ela sai de casa, no Parque Valença 2, às 5h20 e só chega na escola às 7h. No trajeto, a van para em oito lugares. [veja no vídeo acima]

A volta é a mesma coisa. Ela deixa a unidade às 12h47 e só chega à residência para almoçar às 14h05. A mãe de Maria Eduarda, Janaína Batista de Oliveira, afirmou que deveria haver outra alternativa para a filha chegar à escola mais rápido ou estudar em uma unidade mais perto de casa.

O que diz a Prefeitura
Além de justificar o problema com as obras do BRT, a Secretaria de Educação informou que pretende dividir o grupo de 13 alunos em dois veículos. Sobre criar um novo polo para estudantes com deficiência auditiva, a Prefeitura afirmou que vai fazer um estudo para ver se isso é possível.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2019/04/29/obra-do-brt-afeta-transporte-para-deficientes-auditivos-e-alunos-ficam-ate-3h-dentro-de-van.ghtml

Comentários no Facebook